03 – Pessoas Tóxicas

toxic

 

Acho que todo mundo aqui sabe o que “tóxico” significa, mas todo texto é sempre mais legal quando é iniciado com a explicação do dicionário.
Pois bem, segundo o dicionário Michaelis, tóxico significa “que envenena; que tem a propriedade de envenenar. O mesmo que veneno.”
E, infelizmente, existem muitas pessoas que não podem ser definidas por outro adjetivo.
A ideia pra esse pensamento veio de uma frase que eu vi no tumblr há um tempo, que dizia, numa tradução livre, exatamente o seguinte: “Não tenha medo de eliminar pessoas tóxicas da sua vida.” E desde então essa frase vive na minha cabeça, principalmente quando eu detecto uma dessas pessoas perto de mim.
O problema de toda esta história é que você, em algum ponto da sua vida (ou se é doente como eu, a sua vida inteira), você vai gostar de algum tipo de pessoa assim. Aliás, acho que todos devemos ter alguém assim no presente momento. Aquela pessoa que você gosta – às vezes sem nem saber por que – e que te faz rir, é legal pra sair numa sexta à noite e você muitas vezes a chama de “amigo”. Mas é uma pessoa que está sempre te colocando pra baixo. Que está sempre criticando sua maneira de ser, se você gosta disso ou daquilo, que fica opinando negativamente em tudo o que você faz e que tenta, a todo custo, fazê-lo ver a vida como ela vê, fazê-lo viver a vida como ela vive. Levante a mão quem conhece e gosta – mais uma vez, sem saber o motivo – de alguém assim: \o/
Então, essa é a pior parte. Gostar de uma pessoa assim. Não sei vocês, mas eu não preciso de motivos pra gostar ou desgostar de alguém. Acho que até coloquei isso em um dos meus textos e, infelizmente, é verdade. Quisera eu ter sempre motivo para gostar de alguém porque a pessoa me deu razões para isso. Mas não. Eu só olho a pessoa e PÁ! Gostei. Fim. Quero ser amiga dela, faço de tudo para me aproximar… E, no fim das contas, acabo adicionando mais uma pessoa tóxica na minha vida.
Acredito que muitas pessoas têm pessoas ao redor assim também, sejam parentes, amigos, até mesmo namorados… Conheço muita garota se matando por veneno em forma de homem. Cada um tem seus motivos patológicos para correr atrás de gente assim (porque nós sempre que corremos atrás das pessoas tóxicas e elas nunca correm em nossa direção, já repararam?), eu com certeza tenho os meus! Mas isso não é desculpa para ficar aceitando esse tipo de tratamento, ouvindo certas coisas a fim de conseguir uma migalha de atenção, seja pelo motivo que for.
Existem mais de 7 bilhões de pessoas no mundo. Vocês têm noção do que são 7 bilhões? Sério, peguem uma caixinha com 200 palitos de fósforo, abra-a e jogue tudo no chão. Agora vá catar tudo e veja o tamanho da bagunça e o quanto parece ter muito mais do que 200 palitos ali. É coisa pra caramba, né? Agora, imaginem 7 BILHÕES. 7 bilhões de pessoas ótimas para conhecer, que tem a cabeça aberta, que têm uma visão super bacana do mundo, que poderão até mesmo mudar sua vida pra melhor… E você aí, rodeado de pessoas tóxicas. É muito palito bom por aí para continuar correndo atrás dos queimados, não acha?
Às vezes acho que esse tipo de pessoa não tem noção do que faz. Porque me recuso a acreditar que elas façam e falem coisas deliberadamente, com o intuito de ver o outro no chão mesmo (sim, eu ainda acredito na bondade humana, por mais que às vezes eu jure o contrário!). Elas falam, falam, falam sem parar, sem notar a podridão que está saindo de suas bocas.
Vocês são minhas leitoras lindas e maravilhosas e não devem, não podem ser uma pessoa tóxica na vida de ninguém! Claro que ninguém aqui é santo, muito menos eu! Com certeza todos nós já fomos pessoas tóxicas na vida de alguém, em algum momento ou outro… Ou talvez até mais que isso. Tivemos fases, já fomos ignorantes (ainda somos em muitas coisas!), mas creio que todo mundo aqui já tá na idade de pelo menos se policiar!
Até hoje eu acho incrível como as pessoas criticam umas às outras sem parar, soltam fumaças negras de suas bocas e na hora de dizer uma palavrinha de carinho, de amor… Nossa! É quase a morte! É muito fácil falar quando você tem raiva de alguém, aposto que a maioria de vocês solta essa frase todos os dias: “Mas que raiva do fulano, como ele é chato!” Mas na hora de dizer que ama o sicrano, é preciso de um ano ou mais apenas para começar. Acho que para o ser humano é muito, muito difícil amar mesmo. E mais difícil ainda expressar esse amor através de palavra e gestos.
Acho legal refletir sobre isso. É o que eu faço quando eu não durmo (prova de que de toda coisa ruim pode sair algo bom! Minha insônia serve pra alguma coisa, olhem só!), eu reflito sobre certas coisas que me incomodam e tento achar as respostas. Se passarem às 4 da manhã debaixo da minha janela e ouvirem vozes, não é ninguém no meu quarto, não. Sou eu falando comigo mesma.
Então é isso, reflitam. Vocês possuem o dom da fala, têm noção do quanto poder têm? Por que não usar isso pra melhorar a vida de alguém? As vidas de alguns?
Usem as palavras para o bem. Não tenham medo ou vergonha de expressá-las para quem quer que seja. Tenham noção do quanto um par de frases recheadas de fumaças brancas (sou brega, acostumem-se, licença) pode mudar até mesmo o modo de alguém pensar sobre si mesmo.
Claro que ninguém precisa sair por aí sendo falso e mentindo. Se você não acha uma pessoa bonita ou legal, não precisa ficar dizendo o quanto ela é linda, simpática e maravilhosa. Mas também não precisa, como muitas pessoas, ficar dizendo o quando ela é horrenda, antipática, isso ou aquilo. Tem uma opinião sobre alguém? Não gosta do jeito da pessoa de viver? Parabéns, guarde para si mesmo, comente no máximo com alguém de confiança e siga em frente! Viva em paz e deixe o outro fazer o mesmo. Se cada um ficasse no seu quadrado, não existiriam guerras. Papo de pacifista, mas é verdade. A coisa é meio óbvia, mas ninguém nunca está a fim de ser óbvio, legal e ceder a fim de resultados pacíficos.
As pessoas têm essa necessidade patológica de ficar apontando, de ficar gritando aos 4 ventos os defeitos, físicos ou morais, dos outros. Quantas de vocês não conhecem o exemplo a seguir: Uma pessoa pode ser linda, simpática, agradável, com um cabelo perfeito, de olhar atraente e inúmeras outras qualidades, mas um dia, aparece uma espinha testa. Quando ela estiver entre conhecidos, ninguém vai comentar o quanto ela é bonita, gente boa, uma ótima trabalhadora ou o quanto seu cabelo brilha sem precisar de ajuda de produtos químicos. Mas vocês acham mesmo que com a espinha na testa, aquela coisa vermelha e inflamada (que todo mundo tem, e se você não tem, sinto muito, você vai envelhecer mais rápido e ter mais rugas. Não, isso não é praga, é ciência!), alguém vai comentar as qualidades dela? Vai ter sempre um babaca pra chegar apontando pra espinha e perguntando: “Nossa, que espinha é essa aí na sua testa?”.
Por favor, não sejam esse tipo de babaca. Quando virem alguém com espinhas ou qualquer outro “defeitos” no rosto, procurem outras qualidades. Não é difícil achar se você olhar direito. Não seja uma pessoa tóxica. Quem vive apontando para os outros e destilando veneno, é porque não consegue nem encarar o próprio reflexo no espelho pela manhã. E se você se identificou com os itens aqui citados e descobriu que é uma pessoa tóxica, é só passar a olhar direitinho para si mesmo também. Não dói, não! Você pode ser sempre alguém melhor se quiser! Então, por favor, queira. E seja. O mundo precisa disso.
Espero que essa falação toda tenha servido pra alguma coisa! Vocês sabem o quanto eu gosto de falar e fazer textos enormes, não é? Espero que, no fim, faça a diferença pra alguém.
E só pra terminar, anote a frase aí no caderninho, na parede, na mão, em qualquer lugar que desejar: “Não tenha medo de eliminar pessoas tóxicas de sua vida!” Quer você goste delas ou não. E se até mesmo você ama uma pessoa tóxica, tente abrir os olhos dela. Se não conseguir, realmente elimine-a da sua vida, por mais que doa. Porque ninguém é capaz de agüentar uma vida toda com tanto veneno.

 

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). É escritora e quer viver de fazer literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 18 páginas escritas)
Cuera

Últimos posts por Cuera (exibir todos)

3 comments / Add your comment below

  1. Nossa, lendo este texto, pude notar, infelizmente, que eu tenho meus momentos de “pessoa tóxica”. =/ Muitas vezes acabo querendo “convencer” o outro a seguir meu ponto de vista, assim, eu meio que sou pessimista. Quando você falou da parte da espinha, aí me identifiquei mesmo!! Mas também não sou do tipo que fala dos defeitos do outro o tempo todo e para todos, sou mais de guardar pra mim mesmo ou então falar com um bom amigo.
    Mas esse texto me serviu de alerta, já estava tentando mudar, agora vou tentar mais ainda. Valeu mesmo Cuera, mais uma vez me fazendo refletir na minha vida!! =**

  2. Tenho um amigo que é uma pessoa triste. Ele tem seus momentos de diversão quando fala de seriados ou quando estamos curtindo com a cara de alguém do nosso grupo, mas ele é triste. E ele contagia as pessoas. O problema dele não é atirar os defeitos na cara dos outros nem nada assim, mas é contagiar as pessoas com a tristeza dele. Ele reclama da vida, de tudo, absolutamente TUDO! Esse é o veneno dele e infelizmente de muitas outras pessoas. As vezes eu acho que o que ele precisa é de uma namorada kkkkk… enfim.

Deixe uma resposta