Poema De Um Lutador.

boxe 3

 

Minha cabeça está baixa, a coluna está curvada.
Olho ao redor e não vejo nada.
Falo comigo mesmo e não ouço nada.
A derrota me atingiu em cheio; deu um tapa na cara.
Fui nocauteado e meus lábios beijam a lona da vida.

Está escuro; está deserto.
Não é seguro; estou incerto.
Olho ao redor e não vejo nada.
Falo comigo mesmo e não ouço nada.
Cansei, cansei de lutar.
Cansei de tanto tempo me esforçar, sentir meu corpo se esgotar e de nada adiantar.
Talvez não tenha nascido para isto.
Talvez minha luta não seja esta.

Vivo num mundo de vitórias. Onde os olhos brilham para o sucesso e as línguas se afiam para a derrota.
Pessoas te olham de soslaio, apontam, criticam, chovem palavras.
Tempestades de palavras que desamparam.
Tempestade de pessoas que nunca sequer tentaram.
Talvez não seja mais o mesmo, talvez nunca tenha sido alguém.

Quem sou eu?
Não sei.
Não tenho mais ninguém.
Olho ao redor e não vejo nada.
Falo comigo mesmo e não ouço nada.

Silêncio.

Vamos lá, vamos lá.
Vamos recomeçar.
Eu perdi, mas não me perdi.
Não posso, não devo…
Está escuro, mas não devo ter medo.

Todo lutador é formado de derrotas.
Todo campeão já várias vezes perdeu sua rota.
Se não vejo nada, preciso enxergar.
Se não ouço nada, preciso tentar.
Toda derrota abre um caminho; um caminho bifurcado.
Há duas trilhas a seguir: Tentar de novo ou desistir.
A vida me oferece essa escolha agora.
Estou no centro e preciso decidir.

Quem sou eu?
Não sei.
Talvez nunca saberei por completo.
Só sei que não sou mais o mesmo.
Olho ao redor e vejo o futuro.
Falo comigo e minha alma escuto.
Que falem, que critiquem… Façam chover!
Que façam chover as gotas ácidas de palavras, não vou morrer.
A pior derrota é a derrota para si mesmo.
E essa é uma luta que jamais irei perder.

Levanto a cabeça, ponho a coluna ereta.
Não há mais volta, já decidi minha meta.
Olho nos olhos de meus pais, de minha esposa, de minhas duas filhas e descubro que não tenho nada a temer.
Tenho tudo o que qualquer ser humano possa querer.

É um novo dia, é um novo começo.
Faço uma prece, beijo o meu terço.
Uma nova luta está para começar…
E eu mal posso esperar!

Evelyn Marques
Últimos posts por Evelyn Marques (exibir todos)

2 thoughts on “Poema De Um Lutador.

  1. “Falo comigo e minha alma escuto.
    Que falem, que critiquem… Façam chover!
    Que façam chover as gotas ácidas de palavras, não vou morrer.
    A pior derrota é a derrota para si mesmo.
    E essa é uma luta que jamais irei perder.”

    FOOOOOOODAAAAAAAAAAAAA!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.