É um dia chuvoso.

dia chuvoso

É um dia chuvoso e eu ainda estou esperando por você.
É um dia chuvoso e eu ainda não consigo desistir de você.
Aqui, nessa sala branca e iluminada, abraço meu próprio corpo, a fim de me proteger dos pingos de chuva que são tolhidos pela larga parede de vidro.
Aqui, nessa sala branca e iluminada, escuto o alto barulho do silêncio que parece arrebentar meus tímpanos.
Que me afoga em seu mar de vozes silenciosas.
É um dia chuvoso e tudo está vazio.
É um dia chuvoso e você não está aqui.
Primavera, verão, outono, inverno.
As estações passaram.
Tudo passou.
Você passou.
Mas eu fiquei.
Fiquei com um lápis barato em minha mão dolorida e um bando de cartas que eu jamais entregarei.
Um bando de cartas que em poucos momentos rasgarei.
É um dia chuvoso e eu estou completamente sozinha.
É um dia chuvoso e eu ainda não consigo seguir em frente.
Parece fácil. É só colocar um pé na frente do outro; primeiro o direito, depois o esquerdo.  Parece fácil. Mas não é.
Porque meus pés não se locomovem.
Meus pés estão petrificados, grudados no chão. Este mesmo chão que por tanto tempo pisaste.
Eles não se mexem, temendo apagar os rastros das pegadas que você deixou.
Aqui, nessa sala branca e vazia, eu vejo nós dois.
Aqui, nessa sala branca e vazia, estamos dançando uma valsa vienense.
Anos atrás. Séculos atrás. Eras atrás.
Aqui, nessa sala branca e vazia, tudo o que restou foram fantasmas que agora bailam destemidamente ante meus olhos.
Fantasmas do que fomos.
Fantasmas do que seríamos.
Fantasmas do que nunca seremos.
É um dia chuvoso e eu te perdi.
É um dia chuvoso e eu me perdi.
Uma sala branca e iluminada…
É um dia chuvoso…
É apenas um dia chuvoso…

Evelyn Marques

Evelyn Marques

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). É escritora e quer viver de fazer literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 18 páginas escritas)
Evelyn Marques

Últimos posts por Evelyn Marques (exibir todos)

5 comments / Add your comment below

  1. “Tudo passou.
    Você passou.
    Mas eu fiquei.
    Fiquei com um lápis barato em minha mão dolorida e um bando de cartas que eu jamais entregarei.”

    Amor unilateral é isso mesmo, a boa notícia é que, um dia, colocar um pé na frente do outro vai ser algo tão natural quanto escrever cartas que nunca serão entregues.

  2. QUE COISA MAIS LINDA!

    É um dia chuvoso e eu ainda estou esperando por você.
    É um dia chuvoso e eu ainda não consigo desistir de você.

    Porque meus pés não se locomovem.
    Meus pés estão petrificados, grudados no chão. Este mesmo chão que por tanto tempo pisaste.
    Eles não se mexem, temendo apagar os rastros das pegadas que você deixou.

    VOCÊ DESCREVEU O QUE EU SENTIA/(AINDA SINTO NO FUNDO –‘) pelo dito cujo. 🙁

    Cucu, tu é uma das minhas escritoras (ao lado de escritores famosos, viu?) preferidas! <3

Deixe uma resposta