Um Pouco De Magia.

magic

 

O mundo pode ser cheio de magia se passarmos a vê-lo sob outro ponto de vista. E não falo de pós mágicos ou palavras em latim que fazem os objetos se mexerem de acordo com a nossa vontade. Falo do Universo e de toda mágica que o rege. A mágica que está tapada pela grande nuvem negra e suja, que os próprios seres humanos constroem com sua inteligência mal aplicada.
De um lado pode estar o dinheiro, o interesse, a maldade, a traição, o sexo superficial e outras coisas que cegam nossa alma. Mas há o outro lado também. O lado onde você tem sempre uma ajuda. Os amigos estão aí, como fadas madrinhas confortadoras, parecidas com as dos contos de fada. Você pode buscar consolo também no sorriso sincero de uma criança ou num carinho genuíno de um pequeno animal.
A magia também está na troca daquele olhar especial, com aquela pessoa que causa reviravoltas em seu estômago.
A magia está por toda a parte, até no ar em que você respira. Algo invisível, mas que o mantém vivo por tempo indeterminado. Você não vê, pois a nuvem negra ainda cega todos nós, espalhando seus frocos de tristeza e decepção por onde passam.
Talvez devêssemos olhar através dessa espessa nuvem com mais frequência, para podermos cultivar aquilo que realmente importa. Se começarmos, cada um, a fazer nossa parte, talvez a utopia de um mundo melhor e curado possa se tornar realidade.

(Trecho do livro Need – Capítulo 8)

Feche Os Olhos.

ffeee3

Feche os olhos.
Feche os olhos e fuja enquanto é tempo.
Enquanto ainda existe um coração inteiro e uma alma que reluz.
Fuja para bem longe e se salve enquanto tudo ainda é colorido.
Antes que desbote, antes que esgote, antes que vire preto e branco.
Apague os diálogos em sua mente.
Apague o cenário, apague os atores, as atrizes…
As cenas debaixo da chuva, as palavras mais doces e os sorriso mais cálidos.
Pegue uma borracha e apague sem pena.
Amasse a folha, borre a tinta, mas apague tudo antes que vire um livro com final trágico.
Ainda há tempo.
Os ponteiros do relógio podem girar ao contrário.
O erro mais encantador já feito pode ser consertado.
É melhor acordar do sonho antes que vire pesadelo.
Desapegue-se da ideia antes que vire sentimento.
Feche as cortinas, termine o show do teatro antes que ele vire o show da vida.
Feche os olhos.
Durma.
Fuja da realidade.
Apenas fuja…
Antes que seja tarde.

(Need, capítulo 25)

Metade.

metade

Não gosto de escuridão. Odeio a claridade.
Detesto estar rodeada de muita gente. Odeio ficar sozinha.
Não preciso de amores doentios. Odeio não ser amada.
Detesto morrer de frio. Odeio calor.
Não gosto de livros fúteis. Odeio livros muito intelectuais.

Talvez, no fim das contas, eu apenas precise encontrar um meio de dividir as coisas. Uma metade, uma separação, uma parte que não me enlouqueça. Mas não consigo alcançar o meio termo. Porque simplesmente sou inteira em tudo…

(Need, Capítulo 2)

Caixinha de Cristal.

crystal

Se eu pudesse, te guardaria em uma caixinha de cristal.
Te deixaria lá dentro, com todas as coisas que precisas e me limitaria a olhar-te por quanto tempo fosse necessário. Te cuidaria, te vigiaria, te amaria. E você estaria sempre aqui.
Você nem precisava saber. Podia ser uma enorme caixinha de cristal, onde você continuaria vivendo sua vida como sempre fez. Como sempre fez antes de me conhecer. E meu trabalho seria apenas vigiar-te e cuidar-te.
Se você estivesse prestes a tropeçar em alguma pedra, imediatamente a tiraria do caminho, para que você pudesse continuar andando livremente e sem perigos.
Se estivesse distraído o bastante para não ver um carro se aproximando, eu pararia o tempo dentro da caixinha de cristal. O carro pararia e você poderia continuar andando livremente e sem perigos.
Se estivesse enamorado de uma mulher que lhe partiu o coração, eu imediatamente a arrancaria da caixinha de cristal e a mandaria para uma caixa de papelão quente e suja. E se as lágrimas começassem a rolar pelo seu rosto, costuraria seu coração durante a noite, em seu profundo sono, e você acordaria sentindo-se renovado, como se nenhuma dor jamais houvesse atingido o pequeno e frágil músculo do lado esquerdo do peito. Você sabe, eu sou uma boa costureira. E você poderia continuar andando livremente e sem perigos. Eu poderia fazer isso sim. Poderia fazer isso e muitas outras coisas. Se ao menos pudesse ter você por perto. Se ao menos pudesse ter você aqui, dentro de uma caixinha de cristal para sempre.
Porque o efêmero nunca me satisfez. O fugaz nunca me alimentou. E a inconstância sempre foi meu desespero.
Em uma caixinha de cristal você poderia ser livre perto de mim. Nós não precisaríamos tomar caminhos diferentes. Você não precisaria ir para a esquerda, enquanto eu sigo a direita. Você não precisaria ir subindo enquanto minha vida desceria cada vez mais por estar longe de sua presença. Você não precisaria pisar no branco, enquanto eu estaria me afogando no negro.
Em uma caixinha de cristal você estaria aqui. Sempre aqui.
Porque eu sinto. Eu sinto, eu posso ver. O dia em que teremos de seguir caminhos contrários está chegando. O dia em que teremos de alçar nossas mãos em um melancólico adeus e seguirmos direções opostas está cada vez mais próximo.
Eu já estou recuperada. Já estou bem, já estou perfeita. Já tenho (quase) tudo o que eu preciso.
O que você irá fazer comigo? Como irá me manter, sem qualquer outra desculpa que possa ser usada?
Me colocará em uma caixinha de cristal também? Não… eu acho que não. Ou melhor… eu tenho certeza que não.
Por isso, fique em silêncio e viva em minha caixinha de cristal.
Porque talvez um dia eu crie coragem suficiente e entre nessa caixinha.
Porque talvez um dia eu resolva passar pela mesma rua que você, na mesma hora, no mesmo bairro.
Porque talvez um dia eu esteja pronta para olhar-te nos olhos e dizer todos os sentimentos que estão vivendo em cada célula do meu corpo. E que esses sentimentos são todos para você.
Porque talvez um dia, em uma hora qualquer, em um evento inesperado, nós possamos nos reunir outra vez, nos encontrar outra vez e nos amarmos pela primeira vez.
E então viveríamos, finalmente, felizes para sempre, em minha preciosa caixinha de cristal.

Reflexos.

tumblr_mc5kr9tbnP1r5g9rso1_500

Me tiraram tudo o que eu tinha de mais bonito. E, agora, não sei lidar com o feio.
Odeio chorar na claridade. Me envergonha. Ver minha própria miséria me incomoda. Sim… me incomoda. Sinto vergonha. Sinto-me fraca. A claridade, a claridade!
Por favor, dê-me um pouco de noite, de lágrimas derramadas debaixo do edredon. Eu simplesmente… não posso me olhar no espelho agora…

(Need, Capítulo 6)