Resenha 14 – Três Semanas Com O Meu Irmão

42896224

Categorizo o livro “Três semanas com meu irmão” como aquele que mudou minha visão sobre Nicholas Sparks.
Quando o peguei para ler tinha o sentimento de “vamos lá para mais uma típica história do senhor Sparks”. Não que eu odeie suas invenções, muito pelo contrário, adoro a forma com que ele escreve, porém depois de alguns livros você acaba percebendo vícios, detalhes parecidos em todos eles. Já sabia que seria um pouco diferente por ser uma história real e ser escrita junto ao irmão, entretanto continuava com a sensação de que leria o mesmo de sempre. Logo de começo a narrativa é diferente por se tratar da história dele, e então eu comecei a me apaixonar por Nick (como seu irmão o chama), fui me identificando com a criança que ele foi e com sua maneira de ser. Enquanto lia suas aventuras e dificuldades familiares, pensava em todas as suas obras que li e até mesmo naquelas que não li, mas assisti aos filmes (ei, não me diga que nunca assistiu a um filme baseado numa história de Nicholas Sparks?) e vi todas de forma diferente. Nunca imaginei que “Um amor para recordar” era baseado em sua irmã, nem que “O resgate” foi inspirado no seu filho Ryan.
Pensando nas histórias pude ver um pouquinho de Nicholas nelas, pude ver um pouco da dor que ele passou, um pouco da sua simplicidade em cada frase. Pensei muitas vezes que os romances acabavam parecidos por ele fazê-los apenas por dinheiro, por ter se tornado algo para lucrar e mudei de opinião sobre Nicholas, por saber tudo que ele passou e perdeu, tudo que ele ganhou e também os sacrifícios que fez para que essas histórias tivessem início, meio e fim.
Ao terminar o livro “Três semanas com meu irmão” senti vontade de abraçar os dois, tanto Nick quanto Micah e agradecer um ao outro por terem tido essa relação maravilhosa que serviu de apoio a ambos, além de possibilitarem a todos lerem e conhecerem essas aventuras e tragédias. Foi o melhor livro que eles poderiam ter escrito.
Indico o livro pra quem gosta do autor, pra quem não gosta e tem interesse de mudar de ideia, pra quem simplesmente quer conhecê-lo melhor. No livro é apresentada a história da família Sparks, desde a infância até a atualidade da escrita do mesmo, por lembranças em meio a uma viagem feita por Nicholas e seu irmão Micah. A escrita é a mesma fluida de todos os outros livros, você se apega às pessoas que nunca conheceu, se entristece e se alegra a cada minuto. Espero que mais pessoas se emocionem com a vida dessas duas pessoas e possam gostar um pouco ou ainda mais desse autor tão conhecido e ao mesmo tempo desconhecido por nós.

Título: Três Semanas Com O Meu Irmão
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 320

Os Melhores De 2015 – Por Samantha Suminski

 

  1. Melhor Livro: Os Instrumentos Mortais – Cassandra Clare.

images.livrariasaraiva.com.br

Então, sim, é uma saga e não um livro único. Sou uma pessoa que gosta muito de ler todos os tipos de livros e gosto de buscar sempre assuntos novos, mas o que me prende muito mesmo, que é paixão na certa, são livros de fantasia. Eu li alguns livros maravilhosos esse ano, foi difícil escolher, entretanto escolhi essa saga, porque ela fez com que eu quisesse fazer parte do mundo dos caçadores de sombras, fez com que eu me sentisse deslocada quando terminei de lê-la. E o que contou como critério de desempate na escolha (hihi) foi porque mesmo passados meses, eu ainda fico pensando e querendo fazer parte do mundo desses livros.

2) Melhor Série: Chicago PD.

chicago-pd

Eu escolhi por ser uma série em que eu comecei a assistir esse ano, apesar de ela ser do ano passado. Além disso, é umas poucas séries que tem me prendido e feito com que eu quisesse mais e mais (The Walking Dead não fique com ciúme, faz parte dessa lista). Sem contar que tem Voigth com aquela voz que prefiro não comentar, Antônio com todo encanto de latino, Olinsky que é a coisa mais fofa desse universo (me adota) e nem comento sobre Linstead. (E nem falo que sou apaixonada por Sophia Bush).

3) Melhor Filme: O Grande Herói.

herou

Eu não sei se eu não vi muitos filmes esse ano ou se eles não foram tão significativos, porque o único (que eu lembro) que eu realmente gostei foi O grande herói, gosto muito de filmes de guerra e esse principalmente tem uma história incrível, além de tudo é baseado em fatos reais. (O que deixa melhor, o único que não dá sendo baseado em fatos reais é de terror hihi).

4) Música Mais Tocada Em Meu Player: Chains – Nick Jonas.

Não se choquem, por favor. Meu gênero musical preferido é o rock e obviamente sempre será o mais tocado no meu player, porém essa música me conquistou na primeira ouvida. Sempre tive um preconceituozinho básico com alguns cantores pops, principalmente ex-Disney, entretanto essa música seduz, ela tem um ritmo de sedução, a letra também de certa forma e sem contar que o cantor deu bom né? Enfim, é uma música que continua tocando frequentemente no meu player.

5) A Maior Surpresa: Extraordinário – R. J. Palacio.

vcvcvcv

Eu poderia colocar a música aqui, ou poderia trocar de categoria com o melhor livro, porque esse livro é realmente extraordinário. E divide meu coração de melhor livro, sim. Deixei ele como maior surpresa, porque apesar de a maioria das pessoas falarem bem e de eu me interessar já pelas resenhas sobre ele, foi uma grande surpresa pelo rumo que a história tomou, esperava algo pesado, difícil, porém encontrei uma leveza incrível, algo que não tinha pensado que poderia ocorrer diante do tema do livro, me apaixonei pelo personagem e por toda a maneira como a história foi escrita. Além de me deixar surpresa, ganhou meu coração.

Romances De Banca De Jornal: Sabia Que É Possível Trocá-los?

11830869_1023656164325463_1079190538_n

Romance. Ah, qual leitor não o ama? Somos todos arrebatados por histórias magníficas e muito agraciados pelos diversos tipos que compõem este estilo literário. Mas e se formos falar sobre o tal “água com açúcar”? Um dos tipos mais lidos, até mesmo para aquelas pessoas que recusam admitir. Aquele que guardamos com tanto carinho na nossa estante. Aquele que sabemos desde o princípio da história que os mocinhos vão ficar juntos no final, que vão enfrentar muitos problemas, mas vão acabar bem. Aquele que sua amiga que prefere romance policial diz que jamais vai lê-lo. Aquele que as mais românticas adoram sonhar com que o mesmo aconteça em sua vida. Então vamos discorrer sobre romance? Não exatamente!
Você já ouviu falar em livros de banca? Quero deixar claro antes de apresentá-lo ou relembrá-lo, que vos escrevo de um estado específico do Brasil (Rio Grande do Sul) e sei que alguns lugares fora deste estado também possuem este método (como o estado Paraná). Estou deixando claro porque meu intuito neste texto é incentivá-los a procurar na sua cidade se existe.
O que são livros de banca? São livros, na maioria romances, que são muitíssimo baratos, vendidos em bancas de revistas e que podem ser trocados! Como funciona? Você compra um livro na banca, depois de lê-lo pode voltar e trocar por outro título. E alguns livros possuem duas histórias o que possibilita trocá-lo por outro que seja desta forma ou por dois, não é maravilhoso?  O que estamos esperando para correr para a banca mais próxima e descobrir histórias incríveis? Lembrando novamente que não posso afirmar que este método exista em todos os lugares do Brasil, porém não custa se informar.
Abri este texto falando de romance, água com açúcar especificamente, porque são os mais encontrados nas bancas, e acredito que todos nós em algum momento precisamos da leveza em que estes nos proporcionam. A possibilidade de compra e troca destes livros pode ser uma boa forma de manter a leitura em dia quando não há oportunidades de obter livros que muitas vezes não cabem nos nossos bolsos, metaforicamente falando.
Espero que descubram esta forma maravilhosa de se agraciar com a leitura em suas cidades!  E que tenham ótimas surpresas!

Resenha 07 – Extraordinário.

capa-extraordinario_frente

“Não julgue um livro menino pela capa cara”.

O livro “Extraordinário”,  de R. J. Palacio, conta a história de um garoto de dez anos chamado August Pullman que possui uma deformação no rosto, resultado de mais de uma mutação genética. Auggie é cercado por amor e muitos cuidados, desde à irmã que o defende ferozmente até os pais super protetores. O fato mais importante desta proteção é que sua mãe, Isabel, é também sua professora e sua casa é sua escola. Então a vida do menino muda com seu ingresso a uma escola real.
Essa estória tinha tudo para ser triste (e é, em partes), entretanto é surpreendente como ela se desenrola com a leveza da vida de um garoto. August é recebido na escola como sempre fora na vida, com olhares ora chocados, ora disfarçados. Seu enfrentamento não é fácil, parte de seu ano escolar é marcado por preconceito, piadas e dúvidas. Permito-me afirmar que o autor obteve êxito ao enfatizar a importância de uma boa educação. Com uma escola na qual é dita não inclusiva, dirigida por uma pessoa de mente clara e sã. Em momentos Auggie fora vítima de deboche pelas crianças, mostrando também os comportamentos dos pais destas, os quais por vezes tentaram impedir que o mesmo fizesse parte da instituição devido a sua diferença.
A diferença é algo que toca de alguma forma, sendo no choque ou na empatia, assim como foram diversos casos em que o menino enfrenta a rejeição, ele também encontra pessoas como Summer e Jack os quais se tornam seus melhores amigos, a empatia e o envolvimento da educação (o que a autora parece transparecer) destes tornam os dias do amigo mais alegres, substituindo os obstáculos por desafios.
Extraordinário é fascinante pela forma que é dividido em partes, em visões, não apenas August narra como também pessoas próximas, como sua irmã e amigos, mostrando que não apenas quem possui a diferença, mas também seus próximos enfrentam desafios em relação a isso. A vida de August Pullman realmente muda de maneira positiva independente de sua condição, realçando o caráter por traz de uma aparência considerada fora dos padrões. Como dito pelo diretor da escola, Sr. Buzanfa: “Coragem. Bondade. Amizade. Caráter. Essas são qualidades que nos definem como seres humanos e acabam por nos conduzir à grandeza”.
Extraordinário é o livro em que você deve ler e indicar, inclusive, deixo aqui minha indicação especial aos educadores, professores, pedagogos, entre outros em meio a educação.

“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”