Resenha 11 – Quase uma Rockstar

images.livrariasaraiva.com.br

“ …  – Por isso sou tão obcecada por Nietzsche. E aqui está uma citação que nunca cheguei a compartilhar: “Devemos considerar perdido todo dia em que não dançamos pelo menos uma vez. E devemos chamar de mentira toda verdade que não for acompanhada por pelo menos um sorriso”. (…) Continue fazendo as pessoas rirem, Amber. Pelo menos até ficar velha e grisalha. Ria de si mesma, e os outros sempre rirão com você.”.

Sou fã do Matthew Quick! Desde que, li “O lado bom da vida”, passei a admirar o autor e sempre procuro notícias sobre os seus livros e futuros lançamentos. Há pouco tempo, li “Perdão, Leornard Peacock” e me encantei novamente com a escrita do Matthew e fiquei ansiosa para conhecer “Quase uma Rockstar”. O adicionei a minha lista de livros desejados, sem ler a sinopse ou resenhas, apenas porque queria conhecer mais a escrita do Matthew. Ganhei meu exemplar de Natal/Aniversário, e ele se tornou muito especial, mesmo antes da leitura, pois ao longo do livro, minha mãe fez dedicatórias encantadoras, que em muitos momentos completaram a estória.
Mesmo conhecendo a escrita e competência do Matthew, em nenhum momento, me preparei para o turbilhão de emoções que é “Quase uma Rockstar”. O livro conta a história de Amber Appleton, uma adolescente de 17 anos, que mesmo estando desabrigada e morando com a mãe alcoólatra e o seu melhor amigo, seu cachorro Triplo B, em um ônibus escolar, se declara a Rainha da Esperança. O livro é sobre uma adolescente, mas não deve ser lido só por adolescentes, muito pelo contrário, todos deveríamos nos render as a vida de Amber, seus grandes amigos (entre eles, um ex soldado de guerra, uma advogado de sucesso, quatro adolescentes que não se encaixam, velhinhos abrigados em asilos, e divas coreanas!!), seus trabalhos voluntários e seus questionamentos sobre a fé em Jesus Cristos, a fé no ser humano e principalmente, sobre sermos sempre, proclamadores de esperança.
Ao longo da leitura, me envolvi tanto com o livro e os personagens, que quando percebia, eu estava sorrindo junto a Amber, chorando junto com a personagem, sentindo vontade de cuidar dela e mais que isso, sentia que podia conversar com ela, principalmente sobre os questionamentos que a personagem faz sobre a vida e o ser humano, sobre a bondade das pessoas, sobre perda, luto e recomeços, afinal, quanto de nós, já sentimos que não aguentamos mais? Que estamos sozinhos ou que talvez, aquilo que tínhamos certeza, já não nos assegura de mais nada? Porém, assim como ensina o livro, não estamos sozinhos, é preciso acreditar, é preciso amar e é preciso recomeçar!
“Quase uma Rockstar” entrou para a minha lista de livros favoritos e acredito que por muito tempo, me lembrarei da Amber, rainha da Esperança, que como o Pat, de “Um lado bom da vida”, ganhou meu coração e me proporcionou excelentes momentos e uma leitura inesquecível, fazendo com que Matthew Quick, se firmasse de vez, entre os meus autores favoritos. Se procuram um livro divertido, com momentos e personagens únicos, fica a dica de leitura, que tenho certeza, irá surpreender você, fazendo com que se apaixonem pela personagem, que pode ser adolescente, mas já sabe mais ,que muitos adultos por aí! Boa leitura!

Título: Quase uma Rockstar
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 256

Nayara Marques

Nayara Marques

Psicóloga, mineira, 26 anos (Mas ainda possui uma alma adolescente). Acredita que o amor pode mudar o mundo e é viciada em romances, chocolate, coca cola e livros. Assiste a mais séries do que deveria e não é a melhor cantora do mundo, mas vive cantarolando suas músicas favoritas.
Nayara Marques

Últimos posts por Nayara Marques (exibir todos)

Comments

comments