Meus 9 Trechos Favoritos De “A Seleção”, de Kiera Cass.

A-Selecao

Kiera Cass criou um mundo no futuro completamente diferente do que imaginamos. Ao contrário do que sempre lemos sobre tecnologia e prosperidade, após a 4ª Guerra Mundial as nações voltam para a monarquia e o sistema de castas. America Singer é uma Cinco. Ela faz parte da casta de artistas e músicos clássicos, que estão “apenas três posições acima da sujeira”.

A crítica social é apenas uma linha da história de Cass. Maxon, o príncipe de Illéia (acredito que seja um país formado por países de toda a América após o fim da 4ª Guerra) finalmente chega à maioridade e com isso a Coroa promove A Seleção. O príncipe terá que escolher a esposa entre 35 mulheres.

America tem idade para se inscrever, mas só o faz devido a pressão feita por pessoas que estão próximas a ela. Há também um fator importante: o dinheiro. Além disso, é uma boa oportunidade para ficar longe do ex-namorado por um tempo.

Ela não quer ganhar. America ficaria feliz em ficar na Seleção tempo suficiente para curar seu coração e ganhar algum dinheiro para a família. Porém, ela não levava em consideração conhecer Maxon como uma pessoa de verdade. Sei que uma história de príncipe parece clichê demais. Entretanto, America e Maxon formam uma dupla divertidíssima.

1. “Estava tão perdida em meus pensamentos que só percebi que tinha companhia quando o príncipe Maxon começou a falar comigo.
─ Está tudo bem, querida?
─ Eu não sou sua querida.
Levantei minha cabeça para encará-lo. Era impossível não notar o nojo no meu tom de voz e nos meus olhos.”

2. “Ele se levantou para ler meu broche conforme eu me aproximava:
─ America, certo? – Ele perguntou, com um sorriso nos lábios.
─ Sim, sou eu. E sei que já ouvi seu nome antes, mas poderia refrescar minha memória – eu disse, pensando se era má ideia começar com uma piada, mas Maxon riu e me pediu que sentasse.
Ele se inclinou para frente e perguntou:
─ Você dormiu bem, minha querida?”

3. “─ Não acha que seria muito melhor se tivesse alguém aqui dentro? Alguém para ajudar? Tipo… uma amiga?
─ Uma amiga? – Ele perguntou?
─ Sim. Se me deixar ficar, posso ajudar. Serei sua amiga.
Minhas palavras o fizeram sorrir. Retomei minha proposta:
─ Não precisa se incomodar em correr atrás de mim. Já sabe que não sinto nada por você. Mas pode falar comigo a qualquer momento e tentarei ajudar. Ontem à noite você disse que estava em busca de uma confidente. Bem, posso ser essa pessoa enquanto não encontrar a definitiva. Se quiser…”

4. “[…] As firmes batidas de Maxon soaram minutos mais tarde. Quando dei por mim, já estava correndo em direção à porta.
─ Mas onde estão suas criadas – perguntou olhando para o interior do quarto.
─ Foram embora. Eu as dispenso sempre que volto do jantar.
─ Todos os dias?
─ Sim, claro. Posso muito bem tirar a roupa sozinha, obrigada.
Maxon levantou as sobrancelhas e sorriu, então eu corei. Não eram aquelas palavras que eu queria usar. ”

5. “Seu discurso tinha começado cheio de fúria e paixão, mas no final as perguntas não eram mais retóricas. Ele realmente queria saber: o que faria se ninguém ali passasse perto de ser uma pessoa que ele pudesse amar? Embora esse não parecesse ser seu maior problema, o príncipe estava mais preocupado em não ser amado.”

6. “O rosto de Maxon era mero eco da minha dor. Seu coração parecia ter sido despedaçado por minha história. Mais que isso: ele parecia estar com raiva.
─ Sinto muito, America. Eu não… – sua expressão se contorceu um pouco. – Agora é um bom momento para pôr a mão no seu ombro?
Sua dúvida fez com que eu sorrisse.
─ Sim, agora é um ótimo momento.
Ele parecia tão cético como no dia anterior, mas em vez de apenas pôr a mão no meu ombro, inclinou-se e tentou me envolver em seus braços.
─ A única pessoa que já abracei é minha mãe. Estou fazendo certo? – Perguntou.
Eu ri.
─ É difícil errar um abraço.”

7. “─ Feche os olhos, Maxon. […] Talvez você ainda não saiba quem ela é, mas pense nas garotas no salão. Imagine aquela que mais ama. Imagine sua “querida”.
A mão dele estava ao lado da minha, e seus dedos resvalaram nos meus por um momento. Puxei a mão.
─ Desculpe – ele murmurou, abrindo os olhos na minha direção.
─ Fechados!
Ele deu uma risadinha e voltou à posição de antes.”

8. “─ Ele não é mais meu namorado. E deixou bem claro que terminou comigo – até eu pude perceber uma pequena esperança em minha voz.
─ Impossível. Ele deve ter visto você na TV e se apaixonado mais uma vez. Embora, na minha opinião, você continue a ser areia demais para o caminhãozinho dele.
Maxon falava quase como se estivesse aborrecido, como se tivesse visto a cena um milhão de vezes.
─ A propósito – ele prosseguiu elevando um pouco a voz -, se você não quiser que eu me apaixone, não pode ficar assim tão linda. A primeira coisa que farei amanhã será mandar suas criadas costurarem uns sacos de batatas para você usar. ”

9. “─ E por que ainda estou aqui?
Minha voz saiu um pouco mais alta que um sussurro. Eu sabia que ia doer. No fundo, tinha certeza de que só estava ali porque Maxon era bom demais para quebrar uma promessa.
─ America, pensei ter sido claro – ele disse calmamente. […] Se o assunto fosse simples, já teria eliminado todas as outras. Sei o que sinto por você. Talvez seja impulsivo da minha parte ter tanta certeza, mas estou certo de que seria feliz com você.”

BÔNUS

“Toquei a música – tão familiar quanto a voz do meu pai ou o cheiro do meu quarto – por uns breves e belos instantes, para depois deixá-la atingir seu fim inevitável. Passei o arco sobre as cordas pela última e o levantei.
Abri os olhos para verificar se Kriss tinha gostado do presente, mas nem vi seu rosto. Atrás do grupo de meninas estava Maxon. Ele vestia um terno cinza e carregava uma caixa sob o braço. As garotas aplaudiram com muita gentileza, mas não pude prestar atenção no som das palmas. Só conseguia focar em Maxon, com uma expressão bela e maravilhada, que logo se converteu em um sorriso. Um sorriso para mim e mais ninguém.”

Karla Araújo

Karla Araújo

É quase jornalista, tem 21 anos, amor por livros, séries e fé. Uma ideia pode acompanhá-la por anos, mas no momento em que coloca isso no papel, esquece. Graças a Deus pelo papel.
Karla Araújo

Últimos posts por Karla Araújo (exibir todos)

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.