3 Poemas de Paulo Leminski, Do Livro “Toda Poesia”.

paulo 2

O livro “Toda Poesia”, do escritor curitibano Paulo Leminski, ficou durante várias semanas no topo da lista de best-sellers no Brasil. Algo raro para a nossa poesia, que geralmente não é lida pela grande massa. Mas a mensagem direta e as palavras ágeis de Leminski permitem que o leitor imediatamente se identifique com o seu modo de ver o mundo.
É definitivamente um dos meus livros de poemas favoritos.
Aqui separo 3  deles. Não digo que esses são os melhores poemas do livro, porque quando se trata de Leminski é impossível falar de “alguns melhores”. Mas escolhi esses três, pois foram o que mais falaram a mim como leitora, como pessoa, e como escritora também.
São eles:

1.    Razão de Ser

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
e as estrelas lá no céu
lembram letras no papel,
quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter porquê?

2.    olinda wischral

pessoas deviam poder evaporar
quando quisessem
não deixar por aí
lembranças pedaços carcaças
gotas de sangue caveiras esqueletos
e esses apertos no coração
que não me deixam mentir

3. 

por mais que eu ande
nada em mim imagina
o que é que menina
tão pequena esta fazendo
numa cidade tão grande

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). Quer ser escritora e viver de fazer Literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 16 páginas escritas)
Cuera

Comments

comments

response to “3 Poemas de Paulo Leminski, Do Livro “Toda Poesia”.” 1

  1. Gostei muito, muito! Poema é vida! “Eu escrevo apenas./ Tem que ter porquê?” <3 E sem palavras para o último…

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.