O Plano É Não Fazer Planos…

2015

O cenário é sempre o mesmo: fim de ano, preparativos para o ano que está para chegar e mil planos e promessas na cabeça para realizar nos 365 dias seguintes. No fim do próximo ano olharemos nossas listas de desejos a cumprir e perceberemos que não fizemos nem 20% do que pretendíamos. Então voltamos a fazer os mesmos planos e promessas para no outro ano nos deparar com o mesmo cenário. Quantos de vocês se identificam com essa imagem? Eu tenho feito isso desde que me entendo por gente.
Contudo, esse ano resolvi fazer diferente. Resolvi deixar de lado a minha mania de ser uma “control freak” o tempo todo e permitir simplesmente que a vida aconteça para mim.
Já cheguei à conclusão de que não adianta fazer planos e mais planos por dois motivos: 1) Eu sempre esqueço ou tenho preguiça; 2) A vida é algo incontrolável.
Quantas vezes não desenhamos mapas de nossa trajetória nos mínimos detalhes para logo nos vermos jogados do outro lado da margem completamente perdidos, sem saber o que fazer? Quantas vezes não fomos surpreendidos por fatos extraordinários, que jamais pensaríamos poder viver? Comigo parece acontecer o tempo todo. E, na maioria das vezes, me pego sempre receosa, já pronta para fazer mais planos para “consertar” os desvios do caminho. E isso é exaustivo demais.
Por isso em 2015 quero me deixar levar sem planos, sem roteiros, sem nada que crie uma grande expectativa, sem nenhuma ideia que possa vir a me frustrar. Talvez seja um pouco assustador pensar que não há um chão certo onde pisar, mas eu sinceramente ando cansada de coisas exatas e previsíveis. Há uma certa beleza no desconhecido, esse não saber o que aguarda o futuro, o que pode acontecer se eu finalmente me deixar mergulhar nas oportunidades e descobrir o que existe muito além do medo. Viradas de ano são uma ótima oportunidade para recomeços, ainda que puramente simbólicos. Parece que há um novo ponto de partida, um reboot de uma corrida do qual você não foi o campeão, mas onde pode tentar outra vez. Viradas de ano são sinônimos de esperança e acho que isso é o mais bonito nas comemorações de fim ano: acreditar que tudo pode dar certo outra vez, não importa quantas vezes tenha dado muito errado antes.
Que nesta virada possamos planejar apenas ter coragem para encarar os desafios, para ir de encontro ao desconhecido de peito aberto e descobrir novas faces de nós mesmos.
Feliz 2015!

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). Quer ser escritora e viver de fazer Literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 16 páginas escritas)
Cuera

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.