Três Livros Teóricos Que Eu Indicaria Para Qualquer Um.

Hoje eu trouxe uma seleção de livros que eu li pensando na minha formação enquanto estudante de Letras, mas que foram além da teoria e me ajudaram a crescer como leitora de poesia, leitora do mundo e leitora de livros como um todo. Pensando que eles têm uma linguagem bastante acessível e que eles podem fazer por vocês o que fizeram por mim, aqui vão as minhas indicações.

O Arco e a Lira – Octavio Paz.  Editora: Cosac Naify| Páginas: 320|
Este livro é uma delícia. Qualquer pessoa que goste de poesia pode se encantar com o lirismo e a doçura presentes nas palavras de Octavio Paz. Ele escreve de uma forma tão próxima do leitor que, ao ler, você não se sente lendo um livro teórico. Eu gosto de brincar que ele fez poesia em prosa para falar de poesia em verso. Eu ainda não terminei de ler o livro, mas, sempre que eu sento para lê-lo, sou só sorrisos e indico para qualquer um que goste de ler poemas, você passará a entender melhor algumas nuances da poesia. Depois de ler esse livro, eu me tornei uma leitora de poema mais atenta e apaixonada, por isso a indicação.

o_arco_e_a_lira_capa

 

Do Grotesco e do Sublime – Victor Hugo. Editora: Perspectiva| Páginas: 101|
Esse livro é bem fininho, porque na verdade ele é o prefácio de Cromwell, eu li para uma disciplina na faculdade e terminou que ele se tornou um dos meus livros prediletos. O motivo? Victor Hugo escreve de forma simples e poética. O livro conta o desabrochar da poesia desde a criação de todas as coisas fazendo uma comparação com o desabrochar do homem. O primeiro homem, nos diz Hugo, é o primeiro poeta e sua poesia é lírica. Com o passar do tempo, as sociedades se criam, o homem sente a necessidade de contar os seus feitos, então, nos deparamos com a epopeia. E, por fim, com o cristianismo, essa religião que prega a verdade e traz a ideia de que temos uma alma a ser salva, nasce o drama. E o drama deve equilibrar o Grotesco e o Sublime, deixando-os em harmonia: é o nascimento da sociedade moderna. Mas o ponto alto do livro está na tessitura do texto, na qualidade da obra, na forma tão bela que Hugo encontrou de contar a nossa história literária. É um livro obrigatório para estudantes de Letras e um livro delicioso para os que apreciam literatura.

DO_GROTESCO_E_DO_SUBLIME_1269733381P

 

A Literatura em Perigo – Tzvetan Todorov. Editora: Difel| Páginas: 96|
Todorov começou sua carreira de teórico literário como um estruturalista e este livro é um pouco da sua “carta de redenção”. O livro tem um tom bastante pessoal, ele conta a história de amor entre ele e a literatura e os motivos que o levaram a seguir o caminho que seguiu e, ao fazê-lo, conta a sua angustia com o tratamento dado a literatura hoje em dia. O livro tem um tom incrivelmente apaixonado, por isso que acho que pode agradar qualquer um que aprecie essa arte, também é um presente para os professores de literatura em formação (como eu) e, para aqueles que sempre se perguntaram qual a serventia da literatura e qual a utilidade de estudá-la enquanto disciplina escolar, a leitura o livro cai como uma luva. Foi uma das leituras mais agradáveis que tive em muito tempo como estudante de Letras e como uma leitora compulsiva que acredita que o mundo pode ter solução quando nós deixamos que os livros nos mudem.

A_LITERATURA_EM_PERIGO_1239858835P

 Para mais postes como este, visite o Pseudocríticas.

Mariana Bandeira

Mariana Bandeira

Se forma em Letras - Português no primeiro semestre de 2015 (graças a Deus!) e tenta conciliar o TCC, seus alunos, as vinte séries que assiste e os milhares de livros que lê com sua vontade de transformar o mundo em lugar melhor através da educação e o livro que escreve desde 2011.
Mariana Bandeira

Últimos posts por Mariana Bandeira (exibir todos)

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.