Escritor 27 – Irmãos Grimm

Irmãos Grimm

Nascidos em Hanau, Jacob Grimm em 1785 e Wilhelm Grimm em 1786, os irmãos Grimm estudaram Direito junto ao seu pai, mas começaram a se dedicar integralmente à literatura e acabaram deixando a advocacia de lado. No ano de 1830, ambos ingressam em uma universidade alemã como professores. Estudiosos incessantes do idioma alemão, atuaram em campos como História e Filologia. Porém, a grande marca dos Grimm era sua excelência narrativa.
Um ano marcante para os irmãos Grimm foi 1837, quando demonstraram ideias contestadoras em relação ao rei da Alemanha e foram expulsos da Universidade de Göttingen junto a cinco professores. Quatro anos mais tarde, a Universidade de Berlim convida-os para assumirem cargos de professores novamente. Os dois viveram nesta cidade até seus últimos dias, sendo que Wilhelm veio a falecer em 1859 e Jacob em 1863. Estudiosos, os irmãos Grimm sabiam que os primeiros povos transmitiram oralmente suas histórias, passando a tradição de pai para filho, de geração para geração. Assim, quando surgiu a escrita, muitos destes contos foram registrados nos monastérios, onde eram redigidos por religiosos. Desta forma, os irmãos começam a pesquisar antigos documentos e iniciar um processo de recolhimento de histórias da Alemanha para a preservação da memória e das tradições populares.
Apenas Dortchen Wild, que era a mulher de Wilhelm, contribuiu com 12 histórias, das quais pode ser citada Rumpelstiltskin, que tem como principal personagem um anão que faz palha se transformar em ouro. Uma das histórias mais famosas da humanidade, Branca de Neve, imortalizada pelo desenho criado nos estúdios Disney, foi passada para os irmãos Grimm por 2 amigas de sua família. A maior parte dos contos, aproximadamente 200, foram ditados por uma camponesa idosa chamada Dorotea Viehmman.
Publicados no ano de 1812, os primeiros contos dos Grimm levavam o nome de “Histórias das Crianças e do Lar”, totalizando 51 histórias. Aos poucos, os contos desta obra foram se popularizando ao redor do mundo, sendo reinventados em várias versões e conquistando povos de culturas e idiomas diferentes.

Principais Obras:

Cinderella
A Branca de Neve
Rumpelstiltskin
João e Maria

Opinião Pessoal: Albert Einstein uma vez disse: “Se você se quer crianças sejam inteligentes, leiam contos de fadas para elas.” Graças aos irmãos Grimm temos a oportunidade de deixar nossas crianças mais inteligentes.
Acho que os contos de fadas são essenciais. Hoje em dia existe uma forte represália a esses contos. Dizem que não devemos iludir nossas crianças com ilusões sobre amores idealizados, mundos que são muito diferentes do nosso etc. Mas não consigo concordar com essa visão, ainda que entenda quem a tenha. Esses contos não fizeram mal a nenhuma pessoa que conheço. Muito pelo contrário. Contos, histórias, principalmente àquelas contadas antes de dormir, só fazem atiçar a curiosidade dos pequenos, instiga a imaginação e a afasta de um mundo tão cinza quanto o dos adultos. Eu agradeço por ter sido apresentada a esse mundo quando criança e até hoje não conheci ninguém que tenha se arrependido ou tenha algum ressentimento em relação a esse tipo de história.
Jacob e Wilhelm Grimm entendiam isso muito bem e fizeram o favor de reunir tantas histórias mágicas que, ainda recontadas de inúmeras formas, atravessam séculos de existência e são fundamentais, como disse o gênio da física, para desenvolver mais a inteligência e a capacidade criativa de nossas crianças.

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). Quer ser escritora e viver de fazer Literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 16 páginas escritas)
Cuera

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.