Escritor 26 – Jane Austen

310px-Jane_Austen_coloured_version

Jane Austen nasceu em 16 de dezembro de 1775, em Steventon, Hampshire, Inglaterra, sendo a sétima filha do reverendo George Austen, o pároco anglicano local, e de sua esposa Cassandra (cujo nome de solteira era Leigh). O reverendo Austen era uma espécie de tutor, e suplementava os ganhos familiares dando aulas particulares a alunos que residiam em sua casa. A família era formada por oito irmãos, sendo Jane e sua irmã mais velha, Cassandra, as únicas mulheres. Cassandra e Jane eram confidentes, e hoje se conhece uma série de cartas de sua correspondência.É considerada a maior escritora de todos os tempos, de acordo com sua jornada de vida que arrasta milhões de fãs por todo o mundo e encanta a todos com sua literatura épica.
Em 1783, Jane e Cassandra foram para a casa da Sra. Cawley, em Southampton, para prosseguir a educação sob sua tutela; porém tiveram que regressar para casa, devido a uma enfermidade infecciosa em Southampton. Entre 1785 e 1786, ambas foram alunas de um internato em Reading, lugar que pode ter inspirado Jane para descrever o internato da Sra. Goddard, que aparece no romance Emma. A educação que Austen recebeu ali foi a única recebida fora do âmbito familiar. Por outro lado, sabe-se que o reverendo Austen tinha uma ampla biblioteca e, segundo ela mesma conta em suas cartas, tanto ela quanto sua família eram “ávidos leitores de romances, e não se envergonhavam disso”. Assim como lia romances de Fielding e de Richardson, lia também Frances Burney. O título de Orgulho e Preconceito, por exemplo, foi retirado de uma frase dessa autora, no romance Cecilia.
Não há provas de que Jane foi cortejada por ninguém, apesar de um breve amor juvenil com Thomas Lefroy (parente irlandês de uma amiga de Austen), aos 20 anos. Em janeiro do ano seguinte, 1796, escreveu a sua irmã dizendo que tudo havia terminado, pois ele não podia casar por motivos econômicos.
Em 1809 se mudaram para Chawton, perto de Alton e Winchester, onde seu irmão Edward podia abrigá-las em uma pequena casa dentro de uma de suas propriedades. Esta casa tinha a vantagem de ser em Hampshire, o mesmo condado de sua infância. Uma vez instaladas, Jane retomou suas atividades literárias revisando Sense and Sensibility, que foi aceita por um editor em 1810 ou 1811, apesar de a autora assumir os riscos da publicação. Foi publicado de forma anônima, em outubro, como pseudônimo: “By a Lady”. Segundo o diário de Fanny Knight, sobrinha de Austen, esta recebeu uma “carta da tia Cass pedindo que não fosse mencionado que a tia Jane era a autora de Sense and Sensibility”.2 Teve algumas críticas favoráveis, e se sabe que os lucros para Austen foram de 140 libras esterlinas.
Animada pelo êxito de Sense and Sensibility, a autora tentou publicar também Pride and Prejudice, que foi vendido em novembro de 1812 e publicado em janeiro de 1813. Ao mesmo tempo, começou a trabalhar em Mansfield Park. Em 1813, a identidade da autora de Pride and Prejudice começou a difundir-se, graças à popularidade da obra e à indiscrição da família. Nesse mesmo ano foi publicada a 2ª edição de suas obras, e em maio de 1814 surgiu Mansfield Park, obra da qual se venderam todos os exemplares em seis meses, e Austen começou a trabalhar em Emma.
Austen começou Persuasion em agosto de 1815, mas um ano depois começou a se sentir mal. No início de 1817 começou Sanditon, porém teve que abandonar a obra por seu estado de saúde. Para receber tratamento médico foi levada a Winchester, onde faleceu em 18 de julho de 1817.
Suas últimas palavras foram: “Não quero nada mais que a morte”.4 Tinha 41 anos.
Em seu testamento, legou tudo o que tinha para sua irmã Cassandra. Na época, não se sabia a causa de sua morte; hoje, considera-se que foi Doença de Addison. Está enterrada na Catedral de Winchester.

Biografia retirada do Wikipédia.

Principais Obras:

Razão e Sensibilidade (1811)
Orgulho e Preconceito (1813)
Emma (1815)
Persuasão (1818)

Opinião Pessoal:

Jane Austen é atemporal. Apesar de seus romances narrarem a sociedade inglesa e destacar a educação dada à mulher na época, é possível qualquer um se identificar com os conflitos de seus personagens. É muito comum os jovens leitores de hoje em dia pegarem algum livro do século XIX e torcer o nariz, acharem enfadonho ou difícil demais para ser lido. Com Jane Austen isso é mais difícil acontecer. Sua escrita é bastante fácil e compreensível, os dramas de suas protagonistas podem assemelhar-se ao que algumas mulheres vivem hoje em dia. Muitas vezes me vi no lugar de Emma ou Elizabeth, personagens de Emma e Orgulho e Preconceito respectivamente, principalmente na forma de pensar ou falar. Mesmo com séculos de diferença, suas histórias são capazes de nos tocar, instruir e entreter a pessoas de qualquer idade.
Gosto da delicadeza de sua escrita. Gosto muito. É gostosa, é instrutiva. Mesmo quando trata de assuntos mais sérios e críticas, usando toda a ironia que lhe é característica, ainda assim consegue manter a sutileza das palavras. Talvez seja toda a educação e polidez inglesa que se mostra presente até mesmo em uma discussão mais séria entre os personagens. Sua forma de narrar histórias paralelas e amarrar todo o enredo com muito talento é algo que me encanta como uma escritora aspirante.
Ler Jane Austen é reconfortante e um aprendizado, tanto como leitora, tanto como escritora. É impossível não se sentir bem após a leitura de alguns de seus livros e desejar devorar os próximos na primeira oportunidade.
É leitura obrigatória para quem se interessa em descobrir e aprender mais sobre uma boa e clássica literatura.

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). Quer ser escritora e viver de fazer Literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 16 páginas escritas)
Cuera

Comments

comments

responses to “Escritor 26 – Jane Austen” 2

  1. Eu amei saber sobre Jane Austen, desde que sei o quanto é respeitoso os livros dela, foi gratificantes saber um pouco mais sobre a vida dela e como se deu a sua carreira de escritora e eu absolutamente concordo sobre sua escrita ser delicada e gostosa! E essa leitura me pegou quando vi que o aniversario dela era no dia do meu, amei saber disso hahaha bjs Cu!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.