Escritor 12 – Neil Gaiman

gaaiman

Neil Richard Gaiman nasceu no dia 10 de Novembro de 1960 em Hampshire, na Inglaterra. É escritor de romances e quadrinhos.
Desde criança foi um apaixonado por livros e bibliotecas. Diz o próprio autor que sempre foi um devorador de livros, passando dias inteiros em bibliotecas e devorando obras de autores consagrados, principalmente os de Literatura Fantástica. Seus escritores favoritos eram C.S Lewis, J.R.R Tolkien, Lewis Carroll, Edgar Allan Poe etc.
Neil Gaiman começou como jornalista na Inglaterra, escrevendo biografias, artigos e críticas literárias. “Violent Cases” foi sua primeira graphic novel com a colaboração com o ilustrador Dave MacKean. Lançaram outra saga chamada “Black Orchid”, pela DC Comics, ganhando cada vez mais espaço e reconhecimento no mundo das graphic novels. Porém foi com a saga “Sandman” que Gaiman e McKean se destacaram e ganharam inúmeros prêmios por seus trabalhos.
A carreira de Neil Gaiman é extensa e recheada de sucessos. Como romancista, ganhou notoriedade com os livros Deuses Americanos, Stardust e Coraline. Muitos de seus livros figuraram entre várias listas de best-sellers ao redor do mundo, atingindo públicos de todas as idades e culturas. É o queridinho dos nerds e fãs de literatura fantástica.
Além de manter redes sociais para falar diretamente com seus fãs, como blog, twitter e tumblr, Gaiman também dá palestras sobre escrita criativa e literatura. É um dos escritores mais prolíficos da atualidade, tendo escrito canções, poemas, roteiros para séries e mini-séries, entre outros.
Em relação à sua vida pessoal, foi casado por 22 anos com Mary McGrath, com quem teve 3 filhos. Atualmente mora nos Estados Unidos ao lado de sua segunda mulher, Amanda Palmer.

Principais Obras:

Sandman (1988)
Stardust (1999)
Deuses Americanos (2001)
Coraline (2002)
Os Filhos de Anansi (2005)

Opinião Pessoal: Eu poderia ficar até amanhã de manhã aqui falando o quanto Neil Gaiman é ótimo e um dos melhores autores da atualidade (na minha humilde opinião e, creio eu, a opinião de alguns nerds de plantão também).
Meu primeiro contato com Gaiman foi através do filme “Stardust”. É um dos meus filmes favoritos, porém na época eu mal poderia imaginar que aquela história veio de algum livro. Fui descobrir mesmo após de ver um capítulo de Doctor Who que ele escreveu (e um dos melhores da série, por sinal) e, maravilhada, fui pesquisar sobre o autor e vi que ele era um dos responsáveis pelo filme que eu havia amado pouco tempo atrás.
A literatura fantástica de Gaiman é tão incrível que você não encontra em nenhum outro lugar. Pelo menos eu ainda não encontrei. Ainda que ele tenha bastantes influências de Carroll, Tolkien e Lewis, ele consegue imprimir em suas histórias características únicas, do tipo em que você lê um trecho de um livro qualquer pela internet e fala: “Isso aí foi Neil Gaiman que escreveu”. E após uma pequena pesquisa você descobre que foi ele mesmo. É como aquele grupo pequeno de cantores que têm a voz tão única que a partir da primeira nota cantada, você já sabe quem é, mesmo que seja uma música inédita ou alguma outra da qual você nunca tenha ouvido. E essa é só uma das mil e uma coisas que faz deste escritor de literatura fantástica simplesmente fantástico (perdão, não pude evitar o trocadilho)!
Seu talento permeia por todos os gêneros. Vai da história mais absurda à mais romântica de um livro para o outro. Ele escreve até mesmo livros infantis, ainda que estes sejam considerados um pouco assustadores para crianças. Amo também o fato dele ser tão prolífico e ainda estar vivo (graças a Deus, que continue assim por muito tempo) para que eu possa lê-lo infinitamente, até mesmo o que não for meu estilo.
Seja escrevendo contos, roteiros, quadrinhos ou romances, Gaiman é incontestavelmente um ótimo escritor, que consegue transportar o leitor aos diversos mundo malucos que vivem em sua cabeça, fazendo-nos até mesmo crer que seu mundo existe de verdade, nem que seja em qualquer lugar ao longe no Universo. E esses, para mim, são os melhores tipo de escritores: o que nos fazem acreditar que a realidade vai muito, muito além do que nossos olhos podem alcançar.

Cuera

Cuera

Carioca de nascimento e mineira de alma. Coleciona um pouco de tudo: séries, livros, filmes, cadernos, memórias, objetos inúteis e até horas infinitas de procrastinação (provavelmente estará no programa “Acumuladores” no futuro). Quer ser escritora e viver de fazer Literatura (isso se o livro que está escrevendo sair algum dia das 16 páginas escritas)
Cuera

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.